Quanto dar de mesada ao seu filho? Descubra AQUI

Seu bebê cresceu… Quer escolher a roupa que vai vestir, o prato que vai comer e o filme para assistir.

Você percebe portanto, que está na hora de dar uma Mesada a ele.

Mas de quanto deve ser a mesada? Tenho certeza que você já se fez essa pergunta e teve dificuldade em encontrar a resposta.

Por isso escrevo este artigo, para que você consiga estipular um valor mais adequado.

Serão três dicas incríveis.

Boa leitura 😉

 


Dica 1 – Levantamento dos gastos do seu filho:

Gastos Criança 2

Não sei se vocês já perceberam, mas eu sou uma pessoa que, apesar de amar a matemática, detesto fórmulas prontas quando os assuntos são: Hábitos, estilos e padrões de vida.

Não é só porque sou chata, as pessoas são diferentes, os filhos possuem idades diferentes e os pais, padrões de vida diferentes.

Não dá pra generalizar. Não é bacana simplesmente dizer que a criança com idade X deve receber Y de mesada e a cada ano aumentar Z%.

E como você saberá o valor mais adequado para a mesada do seu filho?

Comece levantando os gastos habituais dele. Vou criar um exemplo para facilitar a compreensão ok?

A Criança Exemplo tem mensalmente os seguintes gastos:

Levantamento Gastos Criança

Observações:

  • Coloquei a Natação na tabela por tratar-se de atividade praticada tanto por meninos quanto por meninas, mas poderia ser judô, ballet, etc;
  • No item Fast Food, estão inclusos os lanches, sorvetes e refrigerantes que as crianças consomem;
  • No item Diversões estão: Locação de Jogos para Vídeo-Game, Compra de jogos para Vídeo-Game, PC e/ou Celular, Fichas em Parques de Diversões, Locação de Bicicletas e etc.

Levantamento feito. Próxima dica.

 


Dica 2: Quais itens podem ser de responsabilidade da criança? E em qual idade?

Primeiramente vamos separar o que é MUITO sério e precisa permanecer sob responsabilidade dos pais, e o que conseguimos transferir para a criança.

Estudos mostram que:

  • Escola;
  • Saúde;
  • Alimentação e
  • Transporte (se houver)

Devem SEMPRE ser de responsabilidade dos pais.

Mostram também, a idade mais adequada para começar a transferir algumas responsabilidades à criança, pra educá-la financeiramente:

Ebook GRÁTIS

Receba gratuitamente o Ebook sobre Educação Financeira Infantil na Prática>


De 3 a 6 anos:

  • Pequenos gastos, de pouca importância mensal, como por exemplo, o sorvete que ela toma quando vai a um shopping.

 


De 6 a 8 anos:

  • Todos os gastos com Fast Food e Guloseimas podem ser de responsabilidade da criança.

 


De 8 a 10 anos:

  • Todos os gastos com Fast Food e Guloseimas e;
  • Os gastos com Diversão.

 


De 10 a 13 anos:

  • Fast Food e Guloseimas;
  • Diversão e;
  • Parte das despesas com Roupas e Calçados.

 


Dos 13 aos 16 anos:

  • Fast Food e Guloseimas;
  • Diversão e;
  • Roupas e Calçados Integralmente.

 


A partir dos 16 anos:

  • Todos os gastos, com exceção dos que foram citados no começo deste item e que devem SEMPRE ser de responsabilidade dos pais.

 


Dica 3: Calculando o Valor mais adequado da mesada do seu filho:

Limite Mesada

Vou supor que a criança Exemplo tenha 9 anos. Nesta Faixa de idade, podemos transferir a responsabilidade do Fast Food e dos Gastos com Diversão à ela.

De quanto será a mesada?

R$220,00

Sendo R$100,00 de Fast Food e R$120,00 com Diversões.

Veja o motivo pelo qual não devemos estipular um valor fixo por idade. Seu filho pode gastar menos da metade disso e o da vizinha, quatro vezes mais, com os mesmos itens.

A criança, provavelmente vai ficar Eufórica quando souber que vai receber R$220,00 mensalmente. Mas… Sempre existe um M-A-S.

A partir do momento em que você der o dinheiro ao seu filho, você precisa seguir os seguintes passos:

  • Deixar muito claro a ele que NÃO pagará mais o Fast Food nem as Diversões;
  • Explicar a ele que, se ele gastar tudo na primeira semana, passará o resto do mês SEM estes itens;
  • Explicar que o valor é fixo e só será reajustado uma vez ao ano (assim como seu salário).
  • Ensinar a ele que, se ele gastar menos com estes itens, pode guardar parte da mesada e comprar “aquele brinquedo” que ele tanto quer 😉
  • Deixar claro que você transferiu para ele a responsabilidade do Fast Food e da Diversão, mas o dinheiro é dele e se ele quiser passar o mês todo sem comer lanche e comprar outra coisa no final do mês, ele pode.

 

Fazendo isso seu filho passará a entender os seguintes conceitos:

 


Conclusão:

Você aprendeu neste artigo:

  • Porquê valores padrões não são ideais para estipular uma mesada;
  • Quais responsabilidades seu filho pode assumir, de acordo com sua idade;
  • Quanto seu filho deve receber de mesada para assumir estes gastos;
  • O que ensinar ao seu filho quando começar a dar a mesada a ele.

O ensinamento mais importante e que está subentendido no texto é o seguinte:

NUNCA dê ao seu filho um padrão de vida mais alto do que o seu. Ele depende da SUA renda, portanto, é você quem deve impôr os limites dos gastos.

Mais que isso, se você se privar de tudo, para dar à criança uma padrão além das suas possibilidades, estará condenando-a a aprender com a vida e não com você:

  • O quão difícil é reduzir um padrão de vida;
  • O quão difícil é controlar um orçamento, quando as receitas são inferiores ao que você costuma gastar;
  • O quão difícil é Sair das Dívidas (porque ele vai se endividar);
  • Que a vida não é tão boazinha para ensinar quanto Pai e Mãe.

Que tipo de adulto você quer que seu pequeno seja? Não pense em fazê-lo feliz AGORA. Pense em dar respaldo, para que ele seja feliz por TODA sua vida adulta…

Espero que você tenha gostado deste artigo e que reflita sobre as consequências das suas atitudes hoje, no futuro do seu filho.

Aguardo seus comentários e/ou dúvidas no campo abaixo.

 

Abraço

ALINE PORTO

 

Sobre Aline Porto

Aline Porto Educadora financeira que passou de devedora a investidora e quer ensinar você a fazer o mesmo

  • Jonatam César Gebing

    Belíssimo post Aline.

    Realmente é imprescindível educar nossas crianças desde cedo.

    Abração!

    http://www.pobrepoupador.com

    Desenvolva sua Inteligência Financeira.

    • Obrigada Jonatam!
      Precisamos preparar o futuro, se isso for feito, eles sofrerão muito menos que nós quando forem adultos…

      Abraço
      ALINE PORTO

  • Paulo Carvalho

    Muito bom , Aline. Gostei muito da parte de fazer levantamento dos gastos da criança e dividi-los em categorias que podem ficar a cargo da criança ou não. Parabéns!

    • Obrigada Paulo!
      Precisamos ensiná-los sobre finanças, mas não podemos nos esquecer que são crianças…

      Fico muito feliz em saber que a leitura foi útil. Sempre que puder e quiser, deixe seus comentários conosco.

      Abraço
      ALINE PORTO

  • Marcelo Guterman

    Muito bom artigo, Aline. Tenho 7 filhos, e faço exatamente como você descreve. Com uma diferença: a partir dos 16 anos, transporte e comida fora de casa é por conta do jovem.

    • Obrigada Marcelo!

      Vindo de você é muita honra ler isso…

      Abraço e obrigada pelo comentário.

  • Pingback: ()